Download 1cap-invistaemfutebol-web.pdf PDF

Title1cap-invistaemfutebol-web.pdf
TagsInvesting Steve Jobs Interest Meritocracy
File Size285.7 KB
Total Pages9
Document Text Contents
Page 2

2 3

vezes como uma verdadeira fuga do mundo real. Quando você olha para a frente,

vivendo nessa situação, o que vê? É provável que se depare com o mesmo

emprego de sempre – ou, no máximo, outro trabalho com a mesma função – e

uma jornada muito cansativa rumo à aposentadoria. É isso que queremos, no fim

das contas, certo? A tal independência financeira.

A notícia que você lerá a seguir pode ajudá-lo a mudar o rumo de sua vida –

e assumir as rédeas dela: você pode aliar futebol à sua vida profissional. Chegou

a hora de encontrar a energia que o fará saltar da cama enxergando mais beleza

por onde passar, com ânimo para evoluir e marcar o gol mais bonito da história.

Antes de chegarmos lá, porém, é importante falar sobre independência

financeira – que, de maneira rápida e simples, significa ter fontes de renda que

não dependam de seu trabalho direto, garantindo o sustento e lhe dando, assim,

tempo livre para exercer qualquer outra atividade que seja de seu interesse. Ainda

não entendeu? Pense assim: aquilo que você ganha com seus investimentos é

igual ou superior às suas despesas. Mais simples ainda: o dinheiro trabalha para

você.

Não, trabalhar com trading em investimento esportivo não lhe dará

independência financeira diretamente – você precisa operar para ganhar

dinheiro, afinal. O ponto é que, com esses recursos, você pode investir em uma

(ou mais) das formas de atingir essa independência citadas abaixo:

• Empreendimento: ter um negócio próprio em que não seja necessária a

presença do empreendedor em tempo integral;

• Imóveis: adquirindo imóveis para alugar;

• Aplicação financeira: ações, caderneta de poupança, CDB, Títulos

Públicos, entre outros;

• Direitos autorais sobre obras;

• Aposentadoria: contratando um plano de previdência

• Entre outras incontáveis formas, que não serão detalhadas aqui, para não

tirar o foco do livro.

Capítulo 1

Digamos que, hipoteticamente, você odeie seu trabalho e ame futebol

Dá para saber se você gosta ou não da vida que leva hoje pelos primeiros

quinze minutos de seu dia. Já parou para pensar nisso? Da próxima vez que

você acordar numa típica segunda-feira, pare para analisar seu comportamento.

Observe a forma como você sai da cama, os pensamentos que correm por sua

cabeça e, mais importante de tudo: seu ânimo.

Muitas pessoas sentem como se um caminhão estivesse em cima delas

nesse tipo de situação. Saber que o dia será longo e que a insatisfação e a

frustração serão a tônica das próximas horas é precisar ser muito mais forte do

que o necessário para enfrentar um simples ciclo de trabalho. Aprendemos que

trabalhar é sair da cama muito cedo, gastar muito tempo no trânsito – esteja você

preso no congestionamento ou passando sufoco no transporte público – e torcer

para que o dia acabe logo, sempre lançando olhares de desespero para o relógio.

Nesse tipo de situação, chegar a casa parece uma bênção que acaba

depressa, no instante em que a realidade bate à porta: amanhã vai ser igual.

Mesmas cobranças, mesma insatisfação, mesmas olhadas no relógio e a

mesma falta de vontade de sair da cama. O travesseiro e os cobertores não

parecem aconchegantes apenas porque estamos saindo de uma noite em geral

maldormida: é pela falta de motivação para encarar o dia.

O fim de semana chega e as mazelas dão uma folga. Você pode descansar,

rever os amigos, tomar uma cerveja e, claro, assistir futebol. Como bom brasileiro,

você cresceu voltado para esse universo – seja nas peladas de infância, nas

discussões que travava no colégio, seja até na vida adulta, indo a estádios ou

assistindo aos jogos no sofá de sua casa. Independentemente da fase de seu

time, da humilhação na Copa do Mundo ou da insatisfação no trabalho, o futebol

sempre está lá. Passado o possível sonho de se tornar uma estrela do mundo da

bola, porém, ele só aparenta servir como uma forma de descontração – e muitas

Page 3

4 5

Se o seu objetivo com trading esportivo é atingir essa independência,

seu lucro deve ser transferido para uma dessas opções – conseguindo, assim,

renda passiva. Também existe a possibilidade, claro, de utilizar os próprios

lucros no trading para aumentar seu rendimento mensal – e, com experiência,

esse trabalho pode se transformar em sua única fonte de renda. Sim: você

pode viver por causa de futebol, mas, para chegar lá, é importante investir

parte desse lucro em cursos para se aprimorar – desde educação financeira

até outros cursos, tudo isso é importante para ir mais longe.

Independentemente de seu objetivo, uma coisa é certa: tenha uma renda

de segurança (também conhecida como colchão de segurança). Gerações

passadas guardavam dinheiro debaixo do colchão, e é mais ou menos isso que

você deve fazer. Despesas emergenciais, dado o nome, não avisam quando

vão aparecer. Um problema de saúde que não é coberto por seu plano de

assistência médica pode surgir do nada, seu emprego fixo – e não importa quão

chato seja, ele lhe paga determinada quantia todo mês – pode desaparecer e

esse tipo de coisa acontece com mais frequência do que se imagina. A forma

de calcular esse valor é simples: multiplique suas despesas mensais pela

quantidade de meses que você deve gastar para conseguir um trabalho que

lhe gerará a renda anterior de volta.

Exemplo: uma pessoa com 2 mil reais de despesas mensais, que levará

cerca de seis meses para conseguir um novo emprego para receber a mesma

quantia, deverá ter um colchão de segurança de 12 mil reais. Essa quantia

deverá ficar em um investimento com bastante liquidez e em um plano que

permita retirar o dinheiro a qualquer momento.

Usar o trading como fonte de renda ou como objetivo de independência

financeira é o melhor que você pode fazer para si mesmo. Uma frase de

Nietzsche resume essa ideia: “Nunca é alto demais o preço a se pagar pelo

privilégio de ser dono de si mesmo”. E sua hora chegou.

O poder dos juros compostos

De modo diferente do investimento em imóveis de que falamos há pouco,

porém, trabalhar com trading lhe dá outro tipo de lucro. No mercado imobiliário,

aquilo que você ganha chega para você e a transição acabou. Com o trading

esportivo, entretanto, é possível trabalhar em cima de juros compostos.

Você não sabe como isso é importante? Existe um boato de que

perguntaram a Albert Einstein, certa vez, sobre a força mais poderosa do

universo. Sem titubear, o homem que mudou o século passado respondeu: juros

compostos. Ainda em suas palavras, eles são a oitava maravilha do mundo. E

a diferença desses investimentos é simples: com ações normais, geralmente

se compram lotes de cem. Se a sobra de seu investimento não for suficiente

para comprar um lote, ela fica parada (a não ser que você compre ações

fracionárias, mas isso é incomum para quem já é veterano no mercado). No

trading esportivo, porém, você consegue utilizar a quantidade exata de dinheiro

que quiser. Ele também lhe dá a possibilidade de multiplicar seu dinheiro de

forma mais eficiente que os imóveis, pois, além dos juros compostos, pode

utilizar todo o dinheiro que quiser, inclusive os centavos. Quando investe em

imóveis, por exemplo, comprando um para ter uma fonte de receita graças ao

aluguel, você recebe juros simples, não é possível utilizar os valores recebidos

para reinvestir naquele imóvel e propiciar mais retorno sobre o aluguel. Com

operações em esportes, você pode utilizar essa força tão poderosa a seu

favor – e se ainda não conhece essa força tão poderosa, faça uma simulação

acessando este site: http://investimentofutebol.com/juroscompostos.

No simulador citado, há quatro variáveis: valor presente, prazo, taxa de

juros (compostos) e valor futuro. Você deve ter três variáveis para o site calcular

a quarta. No primeiro item, você deve escolher o que quer calcular. Nos outros

itens, basta preencher os campos e clicar em “calcular”.

Exemplo 1: tenho 300 dólares com um rendimento de 3% por operação.

Page 4

6 7

Em quanto tempo conseguirei transformar esse dinheiro em mil dólares, com o

trading esportivo? No primeiro item, clique em “prazo” uma vez que o prazo é a

variável que queremos saber, pois temos as outras três variáveis em mãos, que

são: juros (3), valor presente (300) e valor futuro (1.000). Clique em “calcular”. A

resposta é 40, ou seja, bastam 40 trades para atingir meu objetivo.

Exemplo 2: se eu tenho 10 mil reais hoje e eles me rendem 2% ao mês,

quanto terei daqui a vinte anos? No primeiro item, clique em “valor futuro”. No

prazo, coloque 20 anos. Na taxa, 2%, no valor presente 10.000 e clique em

“calcular”. O resultado é exatamente 1.158.887,35 reais. Mais de 1 milhão de

reais.

Essa é a força dos juros compostos.

Para o exemplo acima, criei uma tabela que mostra o montante acumulado

ao longo dos anos:



Observações:

• O investimento foi de 10 mil reais. No primeiro ano, houve rendimento

de 2.682,42 reais (2% ao mês). Portanto, no fim do primeiro ano, temos um

montante de 12.682,42 reais.

• No fim de cinco anos (25% do prazo), acumulamos apenas 2,83% do

montante pretendido.

• No fim de dez anos (metade do prazo), temos 9,29% do objetivo.

• No fim de quinze anos (75% do prazo), temos apenas 30,48% do

desejado.

Portanto, ao fazer seu plano financeiro de longo prazo, não se esqueça

do poder dos juros compostos, nem de que eles demoram certo tempo para

mostrar resultados concretos.

Prós e contras do trading esportivo

Antes de continuarmos, preciso avisar uma coisa – especialmente em

um mundo que tenta pregar uma realidade inatingível, segundo a qual todos

nós merecemos uma vida perfeita, sem nenhum tipo de dificuldade, desafio

ou problema: a vida de um trader esportivo, assim como a de qualquer outro

profissional, tem seus prós e contras. Não existe – e você pode ter certeza

disso – uma profissão que só conte com coisas boas. Até em seu trabalho dos

sonhos – que pode ser este, como você vai descobrir pelos próximos capítulos

– existirão problemas que precisarão ser colocados na balança, analisados com

calma e resolvidos com objetividade. No fim das contas, encarar as coisas boas

e as ruins de um trabalho tem a ver com maturidade: é olhar para uma lista que

divide cada um dos benefícios e dos ossos do ofício e, depois de gastar certo

tempo consigo mesmo, concluir se vale a pena seguir nesse caminho ou não.

Esses são alguns dos prós de trabalhar com trading esportivo:

• Trabalhar com o que você gosta: não existe ponto mais positivo que esse.

Para grande parte das pessoas, a possibilidade de se fazer aquilo que gosta

é limitada por um fator determinante: a obrigatoriedade de ganhar dinheiro

para sobreviver. Vale lembrar o caso de Steve Jobs, fundador da Apple e uma

das mentes mais brilhantes e bem-sucedidas de nosso tempo. Diz a história

que o norte-americano e Steve Wozniak, seu sócio, planejavam vender cem

placas de circuito para uma loja local de informática no estado da Califórnia,

mais precisamente na cidade de Mountain View. Qual era o objetivo deles?

Acumular mil dólares. Jobs chegou à tal loja, descalço, e ofereceu as placas.

O empresário dono do estabelecimento recusou-as, mas disse que gostaria

de adquirir cinquenta computadores completos – uma absoluta novidade na

época. Qual seria o preço de cada máquina? Quinhentos dólares. Com o

acordo fechado, nasceu a Apple Computer.

Sem saber muito bem o que estava acontecendo ali, Jobs acabou no

meio da perseguição do sonho de ser bem-sucedido. E você já parou para

pensar por que comprou este livro? Cada página que você está lendo, cada

momento de clareza que invade sua mente e o faz pensar: “Sim, é isso que eu

Page 5

8 9

estava procurando”! Às vezes não sabemos o que está prestes a acontecer,

então precisamos agarrar as oportunidades. Você se lembra daquele exemplo,

algumas páginas atrás? De alguém que acorda sem a mínima vontade de sair

da cama, entediado e desmotivado com o trabalho que acontece todos os dias

da semana – às vezes até aos sábados e domingos?

Vamos fazer uma simples conta para exemplificar como uma rotina que

parece normal pode ser desgastante. Primeiro vamos considerar um emprego

normal, com carteira assinada, geralmente de oito horas de trabalho por dia,

com uma hora adicional para o almoço. Totalizamos, então, nove horas em

uma empresa, escritório etc. Considerando que é difícil encontrar alguém que

more perto do trabalho, graças à falha estrutural dos grandes polos, que cria

cidades-dormitórios e mantém os grandes comércios e escritórios no centro

da cidade, podemos fazer uma estimativa e considerar que uma pessoa leva

em torno de uma hora para chegar ao trabalho – seja no cansativo transporte

público, seja no caótico trânsito das cidades brasileiras. Temos, então, onze

horas dedicadas ao simples ato de trabalhar.

Também sabemos que uma pessoa precisa dormir uma média de oito

horas por dia para ter um sono saudável. Como alguém que tem uma rotina

dessas quase nunca consegue oito horas de sono, podemos descontar uma

e ficamos, então, com sete horas, totalizando dezoito horas gastas no dia. Se

adicionarmos uma hora para o jantar e o banho diário, são dezenove. Quantas

horas sobraram? Cinco.

Isso significa que, no fim de uma semana normal de trabalho, gastamos

95 horas (3,9 dias) com funções básicas e automáticas. A essa altura do

campeonato, é praticamente desnecessário apontar que trabalhar com o

que você gosta é fundamental não apenas para ser feliz durante as horas do

emprego, mas para lidar com os outros fatores da vida. Basta parar e analisar

momentos de sua existência em que problemas de trabalho afetaram sua vida

pessoal.

Imagine a seguinte situação: você está passando por um período

de pressão no trabalho, numa época de corte de gastos (em especial,

considerando a crise econômica) e precisa mostrar resultados. Ainda assim, a

equipe com a qual trabalha não parece bem preparada e tampouco motivada.

Sua cabeça começa a se encher de preocupações. Ao mesmo tempo, em seus

círculos sociais e familiares, algum ente querido está passando por problemas

e você está estressado demais para lidar com isso. Com pouco tempo e muitas

preocupações, não sobra nenhum momento para encontrar seus amigos e

deixar a mente ficar um pouco tranquila. De repente, tudo virou uma bola de

neve. Quando estamos sobrecarregados e desmotivados com nossas funções

profissionais, é como se o resto dos nossos problemas ficassem ainda mais

difíceis de resolver. Nebulosos, confusos, mais difíceis. Nossa energia parece

se esgotar lentamente, enquanto uma solução fica cada vez mais distante.

Se você gosta da ideia de ser trader esportivo, trabalhar com isso é eliminar

qualquer possibilidade de estar insatisfeito com trabalho.

Vejamos alguns prós:

• Meritocracia: é de conhecimento comum que certos acontecimentos

de nossa vida não são decididos por nós. Outras pessoas e outras situações

externas podem influenciar – e muito – aquilo que acontece conosco. Isso é

meritocracia – palavra que vem do grego e significa a união de meritum – mérito

– e do sufixo cracia, que significa poder –, um sistema de gestão que considera

o mérito, como aptidão, a razão principal para atingir uma posição confortável

na vida. Isso significa que as posições hierárquicas são conquistadas com base

no merecimento. Na meritocracia, nossas vitórias e nossas derrotas dependem

apenas daquilo que decidimos fazer e realizar. O mercado de trading esportivo,

então, acaba oferecendo a possibilidade de uma vida nas bases da meritocracia

mais próxima a nós – e isso nos leva para o tópico a seguir.

Page 6

10 11

• Não ter patrão: é hora de relembrar aquela frase de Nietzsche: “Nunca

é alto demais o preço a pagar pelo privilégio de ser dono de si mesmo”. O

que isso significa de verdade? Minha interpretação favorita provém do seguinte

raciocínio: independentemente de sua situação, vale analisar os riscos pelo

benefício de viver uma vida independente. Gerações mais antigas, de nossos

pais e avós, consideravam um cargo seguro em alguma empresa o maior

sonho de uma vida. Estabilidade financeira sempre foi um objetivo claro da

maioria das pessoas, guiadas por uma vida cansativa e exaustiva. A figura

do chefe, antes respeitada de maneira quase militar, passou a se tornar um

problema para as novas gerações. Como representante da empresa na qual o

indivíduo trabalha, o chefe pode, muitas vezes, apresentar-se como um grande

impedimento para que consigamos alçar voos mais altos e ir mais longe. Ele

espelha o corporativismo, o terno e a gravata, o ponto batido todos os dias às

nove da manhã e às seis da tarde. É ele quem cobra resultados (às vezes de

forma errada) e cria novas tarefas (às vezes desnecessárias). Esse é outro pró

muito importante na vida de um trader esportivo: nessa profissão, você é seu

próprio chefe. Além de não ter uma pessoa de quem você não gosta criando

uma pressão prejudicial em sua vida, ser seu próprio chefe pode oferecer outro

benefício muito importante em longo prazo: maturidade.

Pense comigo: se você é a única pessoa que pode cobrar resultados e

números, precisa ter um controle emocional muito grande e desenvolver uma

responsabilidade que, antes, era imposta a você. E isso não é tão fácil quanto

as pessoas dizem ser, porque nós estamos acostumados a, quando longe de

um ambiente corporativo e de um chefe, relaxar. Isso significa que, para ser

bem-sucedido nessa profissão, você precisa ser o melhor chefe do mundo – e

o melhor empregado do mundo. Difícil? Sim, porém muito mais interessante,

divertido e gratificante do que ter outra pessoa mandando em você. Seu chefe

é a figura que você vê todos os dias no espelho. Tenha orgulho dele – e faça

por merecer esse orgulho.

• Trabalhar quando quiser, do jeito que quiser e onde quiser: um dos

problemas que já citamos no primeiro tópico era o tempo que gastamos

todos os dias para ir ao nosso “trabalho comum”. Se você preferir evitar o

trânsito caótico e ir de transporte público para o trabalho, precisará enfrentar

hordas de pessoas tão igualmente apressadas – e que não vão se importar

de viajar apertadas como sardinhas. Se sua opção for enfrentar o trânsito e

assumir o volante de seu carro, o destino é certo: congestionamento. E, em

geral, daqueles que lhe fazem sentir falta do ônibus ou do metrô. Trabalhar

onde quiser é poder abrir seu notebook, buscar uma conexão de internet em

qualquer lugar do mundo e lucrar. Mais que isso: seus horários só são afetados

pelos jogos de futebol – não existem longas horas nas quais você não tem

nada para fazer, mas precisa marcar presença. Sua maneira de trabalhar

também cabe a você. Não precisa de terno, não é necessário fingir sorrisos

para colegas chatos nem se preocupar com o valor de seu vale-refeição. São

suas regras, pois é seu negócio. Você é chefe, empregado e departamento

financeiro. Independência nunca soou tão bem, certo?

E contras:

• Não ter com quem dividir as novidades, os sucessos e os fracassos:

se o excesso de sociabilidade no trabalho pode ser uma pedra no sapato de

certas pessoas, tirando-lhes muitas vezes o humor com o passar do dia, a

falta dela também pode ser complicada. Nessa profissão, você voa sozinho

– e, apesar de voar mais alto, não tem a presença diária de outras pessoas

que fazem a mesma coisa e estão ali para compartilhar tudo de novo, bom

e ruim que acontece. Inteligência emocional é a chave, aqui, para lidar com

esse tipo de coisa. Nessa hora, é importante buscar, nas chances que terá

de trabalhar como quiser e onde quiser, ambientes que lhe oferecem pessoas

queridas e próximas, mas que, ainda assim, respeitem seu trabalho e gostem

Page 7

12 13

daquilo que você faz. Ter isso à sua disposição é uma carta na manga, um

trunfo que pode e deve ser utilizado sempre que possível. Uma das melhores

coisas de trabalhar com o que você gosta é, afinal de contas, poder contar

isso aos outros. Saber que alguém de quem você gosta está feliz com

seu trabalho e que adoraria ouvir suas histórias também serve como outro

incentivo para voar mais alto, ir mais longe e conquistar objetivos cada

vez mais incríveis. Não, você não terá almoços ou festas com colegas de

trabalho – uma vez que os outros traders, muitas vezes, estão em outras

cidades, países e estados – e ninguém quer se juntar para tomar aquela

cerveja durante um jogo, que é seu trabalho, certo? Ainda assim, você pode

encontrar comunidades e fóruns sobre trading nos quais poderá discutir sobre

estratégias e conhecer virtualmente pessoas que trabalham com o mesmo

ramo que você – a principal comunidade on-line, inclusive, é gerenciada por

mim e você encontrará mais informações sobre ela no material de apoio que

será apresentado nas próximas páginas.

• O trabalho não tem regulamentação: trabalhar com trading esportivo

não é ilegal – longe disso. O problema, porém, recai na não regulamentação

da área. Em termos simples, isso significa que você não vai, de maneira

nenhuma, tornar-se um “fora da lei” ao trabalhar com o trading – se isso fosse

verdade eu poderia ser considerado um louco de lançar um livro sobre o

assunto, certo? Mais que isso, estas páginas estariam sendo vendidas no

mercado negro, e não em uma livraria, tampouco em sites. Ainda assim, não

existe um sindicato que trabalhe ativamente e esclareça qualquer problema

relacionado à área. Como muitas das profissões on-line, o trading não é

disseminado da forma como poderia ser – a maioria das pessoas, como já

vimos lá atrás, faz isso por prazer e confunde análises de probabilidades com

apostas e sorte. Essa falta de regulamentação pode gerar algum incômodo

no começo, em especial para alguém que está acostumado com um trabalho

“normal”, de horas fixas, salário exato e confortos que parecem bons, mas só

prendem mais a pessoa numa rotina exaustiva e que dá desânimo.

• Não há abatimento de Imposto de Renda (IR) com prejuízos: dentro do

mercado acionário é possível minimizar alguns prejuízos com ações day trade

(aquelas de compra e venda realizadas no mesmo dia, e não necessariamente

nessa ordem) e normais (compra e venda em datas diferentes, também não

necessariamente nessa ordem) abatendo o prejuízo para pagar menos

Imposto de Renda. A própria Receita Federal esclarece em seu site que,

para fins de apuração e pagamento mensal do IR em ações, os prejuízos

acumulados nos meses anteriores podem ser descontados do lucro do mês

atual, diminuindo a base de incidência do imposto. Depois de separar os dois

tipos diferentes de ações, o trader do mercado de ações pode compensar

o prejuízo que tiver quantas vezes quiser – segundo a Instrução Normativa

RFB nº 1.022, não há um limite para isso. É possível utilizar o prejuízo em

qualquer mês subsequente ao seu período de apuração, inclusive em anos

seguintes. Dessa forma, o investidor pode manter o registro desse prejuízo

indefinidamente até que haja algum mês em que seu resultado nas operações

seja positivo.

• Há poucas pessoas no Brasil com quem trocar experiências: como você

acabou de ler, estamos em um mercado pouco difundindo em nosso país – o

sonho brasileiro, enraizado em nossa cultura, está mais ligado à obtenção de

um cargo público, conquistado por meio de um concurso, uma das maneiras

mais fáceis no campo burocrático de conseguir uma aposentadoria e uma

posição fixa no mercado, especialmente considerando o surgimento de

possíveis crises econômicas – sejam elas específicas no Brasil, sejam um

resultado de crise global. Assim, você não vai encontrar uma pessoa num

bar e, depois de alguns minutos de conversa e risadas, descobrir que ela, por

coincidência, também trabalha com trading esportivo. Mais que uma simples

coisa em comum, conhecer pessoas com a mesma profissão é uma boa forma

Page 8

14 15

de tirar dúvidas, comparar resultados e ganhar mais experiência. Nesse caso,

é importante frequentar fóruns de trading esportivo e, disso, aprofundar-se

cada vez mais na área. A não ser que seus amigos também se interessem pela

profissão e entrem no mercado, você estará sozinho nessa e precisará confiar

em seu taco – não com uma confiança cega, e sim com motivos. Você sabe que

é bom, que entrou nessa para vencer e que nada vai derrubá-lo. Siga em frente.

• Não é muito fácil ser trader no Brasil: enquanto países da Europa e

alguns da América do Sul estudam a liberação do jogo, o Brasil não se move

em relação à legalidade dessa situação. Existe uma cultura conservadora no

Brasil em relação a qualquer coisa que possa envolver um jogo. Ainda que

isso reflita certa hipocrisia de nossos governantes – reflexo, é preciso apontar,

de nossa sociedade –, é sabido que não existem projetos vigentes para a

liberação dessas atividades no país – o que significa que é mais difícil ser

trader no Brasil que na Argentina, no Uruguai ou em países da Europa. Ainda

assim, esse é um fator que pode deixar de existir em médio ou longo prazo,

em especial se considerarmos que certas tendências desaparecem à medida

que mais pessoas entram em um mercado – a preocupação deixa de ser o

preconceito e se cria uma necessidade jurídica e fiscal. Muitos brasileiros

enxergam o mercado de trading como um lugar de apostas, e mesmo que não

seja isso, acaba sendo malvisto. O brasileiro é preconceituoso em relação a

esse mercado e, ironicamente, parece gostar de seu trabalho exaustivo e que

lhe causa desânimo. Isso, na verdade, é apenas um reflexo de como nós somos

condicionados a não tomar as rédeas de nossa vida. Como a palavra sugere, o

preconceito vem antes da sabedoria, do conhecimento e da informação. Para

sua sorte, você está mergulhando nas páginas de um livro que visa, mais que

apenas lhe ensinar sobre o trading esportivo, mostrar como pode ser lucrativo –

não apenas financeira, mas mentalmente – e como tomar o controle do próprio

destino. Mais que isso: tomar o controle fazendo algo com que você se diverte,

com m assunto que ama: futebol.

Esse é, em geral, o momento da verdade. Existe uma lista de prós

e contras à sua disposição, e cada item pode mexer com você de maneira

diferente. São necessárias cabeça fria e inteligência emocional nesse momento

para responder a uma simples pergunta: você quer ser um trader esportivo?

Coloque cada um dos itens na balança. Compare sua vida atual com o futuro

que você pode ter, com cada uma das opções: tornar-se um trader ou manter

sua vida atual. Se você sentir que o caminho a seguir é de um operador,

parabéns. Com disciplina e atenção, você está prestes a ter o trabalho mais

legal – e um dos mais rentáveis – dentre todos os seus conhecidos. Isso,

porém, não vem fácil. Depois de tomada a decisão, é necessário se aprofundar

no tema para ir cada vez mais longe. E é o que começaremos a fazer a partir

de agora.

Similer Documents